Connect with us

Mundo cristão

China: policiais interrompem culto online, cercam igreja e impedem pregação do pastor

Publicado

em

(Shenzhen, província de Guangdong – 19 de julho de 2021) No meio da manhã de 11 de julho, agentes de segurança do Partido Comunista Chinês (PCC), policiais e oficiais do departamento de assuntos religiosos, acompanhados por funcionários do subdistrito, invadiram o culto online transmitido pelo Zoom da Igreja Trinity Gospel Harvest, de Shenzhen.

Simultaneamente durante a invasão, enquanto as autoridades forçavam o pastor Mao Zhibin e o pastor Chu Yanqing a pararem de pregar, outros oficiais do PCCh cercaram o prédio da Igreja.

Em abril, Shi Minglei [Hope] , um cristão e ex-membro dedicado de serviço da Igreja Shenzhen Trinity Gospel Harvest, fugiu para a América. Hope relatou que depois que os agentes de segurança do PCCh, policiais e oficiais do departamento de assuntos religiosos pararam à força o culto de adoração online Zoom da Igreja, eles deixaram a Igreja aproximadamente às 11 horas.

Em 25 de abril, policiais prenderam o pastor Cao Yuan enquanto ele pregava. (Foto: reprodução/ChinaAid).

Porque Shenzhen Trinity Gospel apoia fortemente a justiça, muitos dissidentes se juntaram a esta jovem igreja fundada há quatro anos. Além disso, quando o pastor Mao e o pastor Shen Ling se juntaram a outros ministros para apoiar e assinar a “Declaração Conjunta dos Pastores: Uma Declaração para o Bem da Fé Cristã” do Pastor Wang Yi, as autoridades do governo municipal do PCC/Shenzhen regularmente visam e perseguem os membros.

Em outro incidente em 25 de abril, depois que as autoridades invadiram o culto de domingo da Igreja da Colheita do Evangelho da Trindade de Shenzhen, sem mostrar nenhum documento legal, eles baniram a Igreja e ordenaram que os presentes fossem embora. Os policiais transportaram o pastor Mao, o pastor Cao Yuan e o pastor Chu, com outros sete cristãos, para a delegacia de polícia de Bantian. Mais tarde, o pastor Mao disse:

“Hoje, oficiais da força conjunta do departamento de assuntos religiosos, pessoal do departamento de segurança pública e autoridades da agência de segurança nacional baniram nossa igreja. Não enfrentamos uma situação tão séria como esta desde que fundamos nossa igreja, há quatro anos.”

Um vídeo postado no Twitter revelou um conflito surgindo enquanto dois oficiais do PCC à paisana conversavam com o pastor Mao e o pastor Chu durante o ataque de 11 de julho. No final da gravação, o pastor Mao e Eder Chu seguiram os dois oficiais e deixaram a sala.

Apesar das autoridades do PCC estarem infringindo os direitos desta igreja de adoração, o pastor Mao e o pastor Chu, bem como irmãos e irmãs cristãos, supostamente continuam seguros. Com: ChinaAid.

close

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.