Connect with us

Mundo cristão

Comunismo: China proíbe crianças de frequentarem a igreja e prevê punição aos pais

Publicado

em

Os olhos do mundo podem estar em Pequim para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, mas o chefe de um órgão de defesa da liberdade religiosa diz que a perseguição aos cristãos na China está aumentando. “Está ficando pior”, disse David Curry, presidente e CEO da Portas Abertas, ao Christian Headlines.

A China ficou em 17º lugar na World Watch List deste ano de 2022 , que classifica os países do mundo de acordo com o nível de perigo para os cristãos. O relatório diz que os cristãos “estão enfrentando uma pressão crescente das autoridades chinesas” devido em parte ao sistema de vigilância “mais opressivo e sofisticado” do mundo.

O presidente do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping, “sabe que não pode eliminar” os cristãos do país, disse Curry. Há uma estimativa de 96 milhões de cristãos na China, diz o relatório.

“E então ele está lentamente estrangulando a fé cristã, e ele está fazendo isso com vigilância de alta tecnologia. Eles assistem e rastreiam todo mundo no que estão fazendo – através de reconhecimento facial e outras coisas. Imagine se o IRS possuísse todas as câmeras em cada restaurante em todas as ruas da América. Estaríamos muito preocupados que o IRS tenha isso. A China tem isso e outros meios de vigilância e, portanto, eles têm a capacidade de rastrear e avaliar o comportamento.”

Os cristãos na China devem frequentar igrejas aprovadas pelo governo que enfrentam regulamentações pesadas, como a edição de sermões. Por causa disso, muitos cristãos frequentam igrejas clandestinas ilegais aos olhos do governo comunista do país.

Curry resumiu a estratégia de vigilância da seguinte forma: “[Esses dois cidadãos] vão à igreja com muita frequência. Portanto, eles não são bons comunistas. Portanto, eles deveriam perder o emprego. Eles não podem voar – estão em uma lista negra.”

“E tudo o que eles fizeram foi estudar a Bíblia. Isso está acontecendo agora na China”, disse ele. A lei chinesa não permite que crianças “com menos de 18 anos frequentem a igreja”, disse Curry.

“Assim, os pais têm que discipliná-los ou esgueirar-se para algum tipo de estudo bíblico”, disse Curry. “O que acontece, neste caso, é que as crianças podem não entrar na faculdade de sua escolha se frequentarem o estudo bíblico, podem não conseguir emprego, os pais podem perder o emprego. Então há repercussões para esse tipo de coisa. ”

A pandemia deu ao governo uma desculpa para perseguir. Embora todas as igrejas tenham fechado durante a pandemia, “algumas igrejas foram forçadas a permanecer fechadas quando as restrições começaram a ser revogadas e foram eliminadas silenciosamente”, diz o relatório.

“Os líderes cristãos são geralmente o principal alvo da vigilância do governo, e um número muito pequeno foi sequestrado”, ressalta o documento.

“Os convertidos de origem muçulmana ou budista de grupos étnicos minoritários provavelmente enfrentam as mais graves violações da liberdade religiosa, porque são perseguidos, não apenas pelas autoridades, mas também por suas famílias e comunidades”. Com: Christian Headlines.

close

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.