Connect with us

Mundo cristão

Facebook diz que frase “Glória a Deus! Aleluia” é similar a discurso de ódio

Publicado

em

Usuários da plataforma Facebook passaram a circular a denúncia de que a rede social está exibindo um alerta de violação dos “padrões da comunidade” quando comentários com a frase “Glória a Deus! Aleluia” são postados. O Profeta Cristão fez o teste e, de fato, confirmou o ocorrido, conforme prints que podem ser conferidos abaixo.

O pastor, escritor e conferencista Geremias Couto foi uma das personalidades do mundo cristão a denunciar o aparente caso de discriminação religiosa. “Aí está a prova dos nove. Acabei de escrever ‘glória a Deus! Aleluia!’, no perfil do meu amigo Alex Esteves Da Rocha Sousa. Logo apareceu a sinistra mensagem do Facebook”, postou ele em seu perfil.

Em resposta ao líder religioso, vários seguidores passaram a fazer o mesmo comentário, confirmando o aparecimento da mensagem do Facebook, onde está escrito: “É possível que este comentário não siga os padrões da nossa comunidade. Seu comentário está no Facebook, mas é similar a outros comentários removidos por não seguirem os padrões sobre discurso de ódio”.

No mesmo alerta, contudo, a plataforma dá ao usuário a possibilidade de ignorar o aviso ou “excluir o comentário”. Veja abaixo o print feito pelo pastor Geremias:

A escritora e conferencista Norma Braga Venâncio também denunciou o acontecimento:

Um dos usuários levantou a possiblidade do alerta do Facebook ser uma reação automática devido à quantidade de comentários repetitivos de mesmo conteúdo. Ou seja, uma espécie de algoritmo anti-span, o que nesse caso descartaria a suspeita de discriminação religiosa.

Todavia, o próprio usuário depois descartou a possibilidade, pois alegou que fez um teste isolado, fazendo a publicação da frase “Glória a Deus! Aleluia!” isoladamente em seu perfil. Inicialmente o alerta não apareceu, mas ao comentar com a mesma frase na própria postagem, ele surgiu.

Outra possível explicação

As plataformas sociais trabalham mediante algoritmos capazes de “aprender” com o comportamento dos usuários. Isso ocorre para que essas empresas ofereçam aos usuários recomendações de conteúdos compatíveis com os seus interesses.

Como o Facebook disponibiliza aos usuários uma ferramenta de denúncia onde é possível classificar postagens e comentários, entre outros, como “discurso de ódio”, “assédio”, “conteúdo violento” e outros, é possível, também, que uma quantidade excessiva de usuários denunciando comentários “Glória a Deus! Aleluia”, como suposto discurso de ódio, tenha gerado essa reação automática da plataforma.

Não podemos confirmar essa informação e não obtivemos resposta do Facebook sobre isso, mas se esta tese estiver correta, não se trata de discriminação religiosa por parte da rede social, mas sim o resultado  provável de múltiplas reações de intolerância religiosa dos próprios internautas. Veja abaixo a íntegra da mensagem:

close

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *